terça-feira, 8 de março de 2011

Neste silêncio

Neste silêncio em que me deito
as palavras têm outro sentido:
não as ouvirás.

Um dia, encontro-te,
omnipresente e paralelo
ao meu sentir.
Jamais te poderei ouvir.

Este é o silêncio em que me deito.

3 comentários:

mfc disse...

Um silêncio de solidão pungente!

Nilson Barcelli disse...

Poema de palavras sofridas, mas belas.
Gostei imenso do teu poema.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Vieira Calado disse...

Tem piada que à tarde comecei um poema que começa assim:

"O sono invade o meu silêncio..."

Beijinho