quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Lágrima


Toda eu sou uma lágrima
extravasando do interior
e escorrendo pelo meu corpo

diluindo-se vagarosamente
completando um ciclo vagamente
disperso até me fazer soluçar

uma lágrima salgada
caminhando por entre os sulcos
que me deixam as mágoas

toda eu sou lágrimas
transbordando das margens
à procura de um rumo...


Foto minha.

9 comentários:

Maria Clarinda disse...

E o rumo Paula, está logo ali....já o encontraste...!
Lindo o teu poema e a foto!
Jhs

Sonia Schmorantz disse...

Se toda lágrima se estravazar em poesia, com certeza ela dará mais brilho e iluminará este novo rumo...
beijos

Eduardo Aleixo disse...

Lágrima lavando o corpo do poema que de poema se transforma em rosa...
-------------------
Obrigado pela divulgação da capa do meu livro. És um amor de amizade. O convite não tarda.
Beijo
----------------------------

wind disse...

O poema é tristemente bonito.
Beijos

Ana Oliveira disse...

Lágrimas que nas margens fazem nascer flores em forma de palavras...poema.

Beijos

Ana

Jaime A. disse...

Adorei este teu percurso da lágrima: muito contido, sempre escorrente.
Um texto muito bem elaborado.
Bjs.

mariabesuga disse...

lágrimas que logo, mais logo, à noite farão acontecer livro palavras memória...

Beijinho em ti

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Viajantis disse...

...chorar lava a Alma e os teus Poemas tambem!!!