quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Castanhas


Imagina o verde folha
A cor tresmalhada
Dos sonhos

Imagina que albergaste
Mil desejos incontroláveis
Mil caminhos
Ou mil canções de amanhecer

Imagina saudades
Infância e despreocupação
Ou a lucidez e a virtude
De um copo de água pé

Imagina as castanhas
Loiras e luzidias
Chamuscando as tuas mãos
Empoeirando a tua boca

Imagina como te perturbas
Noite fora
Sem horas sem regresso
E te alentas e revigoras
Numa mão cheia
De brasas…


Foto minha.

10 comentários:

Jaime A. disse...

bem-hajas pelas tua palavras... lindas!

Sonia Schmorantz disse...

Castanhas que lembram o gosto da infância e que inspira lindo poema!
beijos

Viajantis disse...

...castanhas, quentes e boas... bonito o poema, bela a foto!

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wind disse...

Muito bem aproveitado o tema num bom poema:)
Beijos

Vanessa. disse...

Eu adoro castanhas e ainda não comi este ano! Ando desejosa delas eheheh :)

Maria Clarinda disse...

Como sempre lindo o poema!!!!
Afinal sempre havia castanhas!
;)
Jhs

Eli disse...

Quando cheguei lá (para as comprar) já tinha fechado! :S

PreDatado disse...

Quentes e bons (os poemas) e boas (as castanhas).

Cátia disse...

Adorei a foto querida, excelente. as tuas palavras... como ja nos habituaste! :)
Beijinhos
CA