sexta-feira, 21 de agosto de 2009


Só eu sei da doçura
que escondes
no silêncio

só eu sei do pranto
que te consome
e te trai
em pequenos gestos

só eu sei
que te reencontrei
quando a foz
está à vista
e ambos sabemos
(só agora)
que o amor
vale a pena!


Foto: Maria Clarinda

9 comentários:

Maria Clarinda disse...

(...)só eu sei
que te reencontrei
quando a foz
está à vista
e ambos sabemos
(só agora)
que o amor
vale a pena!


Paula, palavras para quê...?..mais um poema daqueles em que elas são desnecessárias.
Jhs

Vanessa. disse...

Fantástica a imagem. As palavras, como sempre, maravilhosas!

Viajantis disse...

...só eu sei...que adorei!
vou plagiar....:-)
beijinhos

wind disse...

Lindíssimo.
Beijos

mfc disse...

Sim... vale sempre a pena!

Jaime A. disse...

Lámour! Toujours! E exprime-lo sempre tão bem...
Bjs

LUA DE LOBOS disse...

esta piquena cada vez escreve melhor... será que anda de musa debaixo do braço???

O Faroleiro disse...

O amor é como a maré. Vaza e enche o mar da nossa vida.
Sem amor, a nossa vida seria um mar seco...

Vento disse...

vale sempre a pena.

Beijo