terça-feira, 8 de setembro de 2009

Avesso


Mais uma página
virada do avesso
um absurdo silêncio

uma forma disforme
de calar

outra página
do livro errado

do incerto folhear
e as folhas murcham
pelo raiar da manhã.

Assim estáticos

o incompreensível
desvendar das coisas.


Foto minha.

15 comentários:

Chris disse...

O certo folhear nas folhas incertas da manhã...
Um abraço
Chris

Vento disse...

Pela manhã as coisas envolvem, friamente atingimos patamares de inconsciência perfeitos...

Tal como o teu belo poema, a imagem acompanha a delicadeza das tuas palavras.

Beijo

LUA DE LOBOS disse...

uauuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!

O mar me encanta completamente... disse...

...sutilezas em teu versar, reflexões extraídas e prodigalizadas ao ler-te, convite ao mutismo crítico, analítico, no som das palavras impronunciadas...
meus aplausos !!!

Bjos

joaninha disse...

Não creio que o silencio seja uma forma disforme de calar… tenho ideia que o silêncio é a forma mais barulhenta de nos fazermos ouvir…

Gostei! És muito imaginativa na tua forma de te expressares. Parabéns!
Mil beijinhos

wind disse...

Muito desalento neste poema.
Beijos

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Todos nós na vida já abrimos pelo menos uma vez o livro errado, na página errada, à hora errada.
Beijinhos.

mfc disse...

desconstruimos os sonhos uma vez mais!

Vanessa. disse...

UUUAAAAUUU!!!

Ana Oliveira disse...

Que a mão encontre o livro "certo" e os olhos a página dos mistérios sem erro.

Um beijo

Ana

Zé Al disse...

Como prometido aqui estou a visitar os teus blogs e a ler as lindas poesias neles escritos com amor e arte.Não sei o porquê mas fiquei bloqueado blog das Romãs!
Muitos parabéns e bjs de Zé Al

Nilson Barcelli disse...

Muito belo querida amiga.
Beijo.

poetaeusou . . . disse...

*
um florido,
avesso . . .
,
jinos,
,
*

Zé Al disse...

Infelizmente continuo a ficar bloqueado no blog das Romãs , não gosta de mim!Mas adoro a tua poesia
e hei-de lá entrar para ler e apreciar !
Beijos Zé Al

Maria Clarinda disse...

Lindo, lindo!
Palavras ara quê?
jocas