domingo, 28 de dezembro de 2008

De tanto te pensar

De tanto te pensar
esqueci
as margens
do teu corpo,
o perfil
das tuas mãos
de te lembrar
tanto esqueci
as palavras
do poema...

12 comentários:

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wind disse...

Um excelente paradoxo.
Beijos

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Paula, belo poema... Gostei Amiga... Um abraço de carinho e ternura,
Fernandinha

A. João Soares disse...

Percalços que surgem quando há uma ideia fixa, uma obsessão. Efeitos secundários de uma paixão.
Que tenhas um 2009 em beleza desde o primeiro momento, sem faltas de memória!!!
Beijos
João

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Andas muito esquecida, andas, andas...

Mas em tanto esquecimento lá te lembraste de moi. Merci.

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
De tanto pensar ocorreu-me agora que ouvindo a música deste teu espaço, ele também poderia estar em contagem decrescente para o seu final. Mas não é isso que vai acontecer, pois não?
Beijinhos.

Eduardo P.L disse...

Paula,

fico muito contente e honrado que tenha aceito o SELINHO do BRINDE.
Tudo de muito bom em 2009!

Bjs

Viajantis disse...

...isso cheira-me a desorientação! eheheheh

Branca disse...

Bonito seu cantinho... romântico como eu gosto, voltarei mais vezes.
Que 2009 lhe traga muitas realizações, tanto pessoais quanto profissionais!
Branca.

PreDatado disse...

De tanto te chamar esqueci teu nome!

Os seus poemas fazem sempre pensar outras frases. Não me deixam indiferente.
beijinho.

poetaeusou . . . disse...

*
palavras,
esquecidas . . .
,
jinos,
,
*

pin gente disse...

fecha os olhos e relembra

beijos
luísa