terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Recordo-te

Recordo-te
porque a memória
ainda é plausível
na coerência
da passagem
como um livro lido
e manuseado
relido mil vezes
e trazido
pela tua voz
até mim.

Recordo-te
eternamente presente
nos cravos vermelhos
cinzelados contigo
no teu fogo último...

5 comentários:

Vanessa. disse...

Belíssimas palavras. Adoro!

wind disse...

Saudosista:)
Beijos

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Paula, palavras que significam liberdade... L I N D O ...
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Viajantis disse...

que bom que é ter recordações

Vieira Calado disse...

Deixo

beijinhos

neste seu novo espaço.