domingo, 28 de junho de 2009

?!!

Já se falaram
e já se escreveram
palavras acentuadas
e outras sem sentido
já muito se disse
e nada se entendeu.

Já muito se chorou
e já muito se riu
lágrimas cantadas
e outras sem voz
já se calaram
e nada se encontrou.

Basta!

Que se grite e se diga
se chore e se partilhe,
que se escreva e se entenda
que cada um seja
o que cada um é...

10 comentários:

Osvaldo disse...

Paula;

Que grande grito de revolta!...

Este é um daqueles poemas contestatários que me faz lembrar o tempo em que os grandes compositores musicais utilisavam as letras das sua músucas para contestarem e reivindicarem...

Contra quem ou contra quê é esse teu "grito"?!...

Mas que é um belo poema, lá isso é!...

bjs Paula.
Osvaldo

Jaime A. disse...

É bem verdade Gostei muito desta escrita "da honestidade frontal".
Bjs

Maria Clarinda disse...

Paula, este teu poema lindo como sempre, hoje bateu FORTE em mim...e se mo permitires ainda vou gritá-lo mais alto.
Jinhos muitos

wind disse...

Nada como clarear as coisas!
Excelente "grito"!
Beijos

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...el sentimiento y las palbras cobran en tus versos un particular sentido que envuelve al corazon angela,saludos desde mis HORAS ROTAS.......
Desde mis HORAS ROTAS,
y AULA DE PAZ
un afectuoso abrazo y
cariño compartido
siempre desde el alma
saludos
de amistad:
---Jose Ramon---

Viajantis disse...

....despidos de preconceitos!!!

Sonia Schmorantz disse...

Combina bem comigo hoje, quisera por para fora tanta coisa, e nem consigo escrever. Que bom para ti que tão lindamente consegue...
beijo

Déia disse...

Adorei! É muito interessante cada um demostrar suas diferenças e poder ser o que é!
bj

Eduardo Aleixo disse...

Os dois últimos versos levemo-los connosco sempre como regra funamental a vida.

Mariazita disse...

É bom, sabe bem e faz bem, pelo menos de vez em quando, gritar tudo o que trazemos agrilhoado na alma.
É uma sensação de liberdade infinita!

Um beijo
Mariazita