quinta-feira, 18 de junho de 2009

Penso-te

Gosto de pensar-te
como um futuro,
um sorriso aberto
e esperança.

Penso-te entre dois
dedos de conversa
e a volta da saudade
que não pesa mais.

Gosto de pensar-te
em poesia
e numa tela sempre
iluminada,
um culminar e um regresso.

Eu penso-te aqui
nas minhas mãos
e liberto-te ao vento,
poema e paixão.

7 comentários:

Maria Clarinda disse...

(...)Eu penso-te aqui
nas minhas mãos
e liberto-te ao vento,
poema e paixão.

Que final lindo, Paula para um poema belo também...adorei! Jhs mil

wind disse...

Gostei.
Beijos

Jaime A. disse...

É verdade: um excelente poema com um magnífico final.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Gostei do final alegre e ligeiro levado pelo vento !
Só faltou uma linda foto da nossa amiga Maria Clarinda...

Beijinhos da

Verdinha

Viajantis disse...

gosto de ler-te!

Laura disse...

Pensar é o mesmo que sonhar, e, sonhar leva-nos ao mais belo..ao realizar do sonho. Força, sonha muito, sonha em grande...beijinhos.

Mário Margaride disse...

Que seria de nós sem os sonhos, sem os nossos pensamentos, mesmo que não passem, de meras utopias...

Belo poema...

Beijinhos e uma ecelente semana!

Mário