domingo, 19 de julho de 2009

Assim é

Cada passo
uma desilusão
cada voz
um descompasso
cada gesto
uma ruína

Por cada passo
cada voz
e cada gesto
passam intolerantes
todos os rios
que de mim nascem.

6 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*

a nascente e a foz,
e poderás controlar o rio,
,
jino,
,
*

wind disse...

Bom, embora triste.
Beijos

Maria Clarinda disse...

Mas os rios que ainda estarão para nascer em ti , virão belos...quiçá este se irá mostrar assim, e as águas serão absolutamente límpidas e tolerantes...
Lindo Paulinha!

Anita disse...

Os sentimentos são assim mesmo.

Bjs.

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Há alturas na nossa vida em que a completa imobilidade é a nossa maior virtude.
Beijinhos.

Viajantis disse...

aprendendo a guiá-los, a reconstrução inicia-se!