quinta-feira, 9 de julho de 2009

SEXO


Um dos muitos poemas belos do Pedro Laranjeira, no seu livro Pulsar.
Obrigada por teres autorizado a sua publicação aqui.


Afagar-te os seios, lentamente,
em carícias firmes de suave excitação...
meter-te os dedos no cabelo
e deixar a polpa deslizar sedosamente
até deitares para trás a cabeça,
frouxamente,
num arfar silencioso de emoção!...
Deixar aos poucos a mão escorregar
p'ra que o arrepio fibroso do ouvido,
em ternura transforme o apalpar do teu pescoço...
Pousar então, de mansinho, a minha boca
na flor entreaberta dos teus lábios
e beber a seiva do teu vibrar sereno
enquanto o teu corpo entra nos meus braços!...
Sem um leve tremor, com lentidão,
fazer cair dos teus ombros a blusa
e num estalido seco, quase imperceptível,
abrir-te o soutien para que a luz a volta
possa gozar a ternura dos teus seios...
Ajudar-te na reciprocidade da atitude,
...olhos fechados corpo em liberdade,
até que a minha nudez possa te mostrar
a observância atenta do cair da tua saia
e dar-te a mensagem da total eloquência
do vislumbre triangular que vai me receber!
Deixar as mãos frementes percorrer
a pele rosada e suave de teu corpo,
numa carícia terna de bebé
que te faça vibrar o cordão umbilical!...
Deixar então pousar a boca, de mansinho,
nos botões rosados, frementes dos teus seios!

7 comentários:

wind disse...

Lindíssimo!
Beijos

OrCa disse...

Pois é... Não é impunemente que fazemos parceria nos Encontra A Funda. Um a dizer mata e o outro esfola... o que não sendo, porventura, uma afirmação muito elegante, anda muito próxima do que por lá se vai passando. ;-»

Maria Clarinda disse...

Linda a partilha, Paulinha!!!!
Jinhos aos dois

Natália Augusto disse...

Esta descrição poética da entrega e posse dos corpos mostra quanto a poesia erótica é bela!
Há uma entrega sensual ao erotismo e isso só o sabe quem o sente de verdade ou o viveu.

Nathalie

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Este poema do Pedro Laranjeira que aqui partilhas connosco, está cheio se sedução, ternura, amor, e sensualidade em cada palavra.
Beijinhos.

A Luz A Sombra disse...

Paula:
Para este poema de Pedro Laranjeira só com uma palavra o posso classificar: AMOR.
É lindo!
A Luz A Sombra

Laura disse...

Xi...que partilha maravilhosa num terno momento de amor...
Um beijinho da laura.