terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Água II

Em mar tornei os sonhos
e desfiz-me nas marés
prolonguei a estadia
junto aos búzios
na areia
e em sol voltei voando
recompus todos os sonhos
e permaneci
na ousadia
do teu corpo nu.

Transformei-me
em água.

14 comentários:

wind disse...

Lindíssimo!
Beijos

Sonia Schmorantz disse...

Muito lindo mesmo, nem há muito o que dizer.
beijo

Lu Cavichioli disse...

Oi querida Paula,

Que melodia esse poema!

Lindo e elegante.
Beijos

Persida disse...

Gostei mesmo desta poésia ela é bonita.
Beijocas
Silva

Branca disse...

Lindo Paula,

Tem Selo Personalizado lá no Sentimentos dedicado a todos os amigos, sinta-se a vontade pra pegar ou não...bjos!

alice disse...

querida paula, acabei de descobrir este teu espaço, mais intimista do que as romãs, de que gostei bastante. um grande beijinho.

JoAnInHa disse...

Nunca tinha por aqui passado, mas agora que o li...fiquei encantada, muito bom gosto, muito sentimento! Adorei ler-te, voltarei com certeza =)

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Clarinda disse...

(...)Em mar tornei os sonhos
e desfiz-me nas marés
prolonguei a estadia
junto aos búzios
na areia


Simplesmente lindo como sempre, Paula!
Jinhos

Alexandra disse...

"recompus todos os sonhos"

Usando uma frase do belo poema... só poderia recompôr os sonhos não apagando nada. É impossível para mim. Só por motivos de força maior!

Mas, percebo a sua postura!:)

Beijo

Mário Margaride disse...

Belo poema PAULA!

Pudera eu...
Ser estrada
Sem obstáculos,
sem barreiras
Ser livre
Tal como o vento
Pudera eu...
Ser a luz
Que na escuridão nos conduz
E dá brilho ao pensamento.

Beijinhos e continuação de boa semana

Mário

Anónimo disse...

Vou recomendar a leitura a uma amante do mar.
Smok
Pedro Bello

f_mg disse...

lindo poema, parabéns

Viajantis disse...

E que ousadia....em água se fundir...no outro!