quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

A viagem


Em profusa amálgama
os sons irrompem
divididos e estranham
a espessa colorida
viagem do momento.
Tormento e saudade.
A tua voz já ausente.


Foto: Viajantis

14 comentários:

wind disse...

Saudosista.
Beijos

Alexandra disse...

Um grande amigo que me deixou uma saudade imensa tinha uma característica espectacular. Uma capacidade de sintese fantástica.

Através das tuas palavras, volto a encontrá-lo muitas vezes.

Bem hajas!

Beijos

Maria, Simplesmente disse...

É bom ter saudades, estamos vivas e recordamos.
Bj
Maria

Osvaldo disse...

Olá Paula;
Lindo poema de Saudades...
Saudades, quem as não tem?!...
Aliás, esta palavra tão nosso, tem um misterioso encanto que intriga os estudiosos fonéticos/gramaticais. De onde virá eate doce mistério ?.

Parabéns também ao Viajantis que nos dá aulas de bem fotografar.
bjs.
Osvaldo

PreDatado disse...

Nostálgico.
(gosto de viagens coloridas)
:)

Sonia Schmorantz disse...

Não vamos fazer planos, vamos apenas viajar
neste barco que nos recolheu
e cujo rumo não sabemos...

Não vamos fazer planos, vamos olhar as gaivotas,
os crepúsculos sobre o mar,
as ondas, as nuvens, os portos que amanhecerão,
agradecer ao destino que nos fez passageiros
do mesmo sonho.

Não vamos fazer planos, não vamos matar as nossas alegrias
modificando roteiros, se não sou o comandante do navio,
se ninguém é,
não vamos matar as nossas alegrias
com itinerários antecipados
como se fossemos turistas ricos
apenas gastando o seu tédio...

Não vamos fazer planos, vamos nos deixar levar
ao sabor das correntes,
vamos agradecer essa viagem como se fosse a primeira
como se fosse a última,
como se fosse aquela viagem há tanto tempo esperada,
que inacreditavelmente se tornasse
realidade...
E o porto onde chegarmos, - qualquer que seja o porto
ou o horizonte de mar que sempre se afastará,
serão o porto e o horizonte
da felicidade...


Poema de JG de Araujo Jorge extraído do livro
"Os Mais Belos Poemas Que O Amor Inspirou"

Um abraço e boa semana

Viajantis disse...

a saudade que provoca um ruido ensurdecedor no silêncio da solidão....

Maria Clarinda disse...

Eu vou contigo nessa viagem do momento!
Lindo o teu poema como sempre.
Jhs muitos

Branca disse...

Seus posts estão bem nostálgicos, tanto esse como o do outro blog...espero que essa saudade seja daquelas gostosas, de espera mas da certeza do retorno...


bjo carinhoso.

Vanda Maio disse...

A saudade que tanto magoa...

Gleidston dias disse...

Uma saudade que tras na lembrança uma certa dor,inevitavel,Gostei muito.

Otimo dia.

bjss

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
poetaeusou . . . disse...

*
nostalgia,
de antagónicos olhares
pulsares melancólicos
de tormentosa ausência,
,
Jinos,
,
*

Gui disse...

O tormento da ausência e a nostalgia da saudade. Bonito poema, Paulinha. Um beijo.