domingo, 4 de janeiro de 2009

Poesia/Luz


Falamos de madrugadas
inventadas
e de Invernos floridos,
escrevemos
sobre o Verão
cheio de neve
e plantamos árvores
em tons diferentes.

Quando a música cessa
e a última lágrima
se evapora
a poesia cresce!


Foto: Viajantis

10 comentários:

A. João Soares disse...

Poesia, sonhadora, crescendo de uma fantasia, distante da realidade embrutecedora, indo em busca da beleza, do ideal, da perfeição absoluta.
Felizes os poetas que podem viver no mundo que desejam e adoram, por o terem criado.
Beijos
João

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Paula, belíssimo poema onde a fonte poética está na tua Alma... Maravilhoso Amiga...!
Um grande abraço de carinho e ternura,
Fernandinha

Clarinda Galante disse...

Soberbo...como vês está lindo!!!!E acredita que tudo o que plantaste vai nascer, belo , frondoso...a alma gémea aparecerá...e mais poemas....ainda mais lindo(estes já são divinais...)aparecerão!
Jinhos muitoooooooooos!

Clarinda Galante disse...

Paula, ops, desculpa como estava com o gmail aberto não entrei com o Maria Clarinda, mas...sabes que sou eu...jinhos muitos

wind disse...

Bonito.
Beijos

meus instantes e momentos disse...

lindo, muito bom.Bom de ler, de ver, de escutar, gostei daqui.
Maurizio

© Piedade Araújo Sol disse...

poema simples e tão belo.

as fotos do viajantis são sempre espectaculares.

fica um beij

Viajantis disse...

invernos floridos e verão cheio de neve....na terra dos sonhos, a "neverneverland", tudo é possivel...como quando se está apaixonado e vivemos nas nuvens...

Bruno Pimpão disse...

Sonhandor..