quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Zero

Dividida por dois pontos
somo o quociente
ao resto
mais o dobro
da diferença
e subtraio
um quinto
das lágrimas
que multiplico
por zero...

10 comentários:

Fenix disse...

Querida amiga Paula!

Este poema fez-me sorrir...
Está muito, muito giro!!!

Adorei a brincadeira com as operações matemáticas!

Olha..., menos mal se multiplicas as lágrimas por zero..., qualquer multiplicação por zero, dá zero, como sabes!

Portanto, nada de lágrimas!
Hoje só o céu pode chorar!

Muitos beijinhos

PS.: A foto, à cabeça do blog, é linda. Uma força da Natureza!

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PreDatado disse...

Quando multiplicas por zero sabes o resultado final. Isso é independente das operações de permeio.


(Se um dia quiseres obter o infinito, experimenta dividir por zero, ok?)

Miguel Barroso disse...

O nada azéra-se.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Maria Clarinda disse...

E como a matemática se torna bonita nas tuas palavras....
Nais um poema teu...e....lindo como sempre.Jinhos muitooooos

Maria, Simplesmente disse...

Gostei desta operação, mas por vezes não é esse o resultado.
Abraço
Maria

FERNANDA & ASTROLOGIA disse...

QUERIDA PAULA, LINDO O TEU POEMA...
SUBLIME AMIGA... BEIJINHOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Viajantis disse...

optimo, ainda bem que anulas desta forma as lagrimas!!!!

Anita Fonseca disse...

Uma gracinha seu poema. Acontece exatamente assim.

Bjs.

Tecnenfermaginando disse...

Paula:

mto lindo!
:)